Publicado em: domingo, 01/06/2014

Joaquim Barbosa afirma: ‘A Copa do Mundo será ruim para a imagem do país’

Joaquim Barbosa afirma: ‘A Copa do Mundo será ruim para a imagem do país’Após o anuncio de sua aposentadoria, o presidente do STF (Supremo Tribunal Federal), Joaquim Barbosa, deu uma declaração ao jornal O Globo, afirmando que a ‘Copa do Mundo será ruim para a imagem do Brasil’. Ele diz que da forma como tem se mostrado até o momento, o mundial no Brasil pode prejudicar a imagem do país, isso porque, quem está à frente da organização, as autoridades responsáveis não se preparam como deviam para um evento tão grande quanto esse. Barbosa surpreendeu a todos quando revelou que deixará o cargo no mês que vem.

Exercendo suas funções há mais de dez anos no STF, com a experiência que tem, se sente à vontade ao dizer que com o advento da Copa, os problemas em torno do país ficaram mais transparentes e considera isso como favorável, porque irá deixar como legado uma sociedade que cobra os governantes e não apenas vive no país, achando que não há problemas. Além disso, o ministro ressaltou que os erros na preparação do mundial não são de responsabilidade somente do Estado, porque junto com ele, há um número grande de pessoas que estão envolvidas fora do governo, estas são corresponsáveis pela desorganização.

Protestos e Fifa

Como já havia citado acima, ele reafirma que todos esses problemas visíveis aumentará o nível de ‘cobrança’ das autoridades e dos responsáveis. Em relação aos protestos que vem acontecendo desde junho desse ano e grande parte deles estão programados para acontecer durante a Copa do Mundo, acontecem porque se tem a ideia de que o governo gastou muito dinheiro no evento, o que acreditam ser um dinheiro desperdiçado pois, poderia ser usado em saúde, educação e estrutura para o país. Outro assunto abordado na entrevista foi a Fifa, no qual recentemente estava envolvida em acusações de corrupção quando houve a escolha do Qatar como sede da Copa do Mundo de 2022. Barbosa destaca que acompanha pela imprensa estrangeira e que a Fifa não é um órgão que age com transparência.