Publicado em: sábado, 27/08/2011

Jaqueline Roriz recebe denúncia do procurador-geral da República por desvio de recursos públicos

O procurador-geral da República, Roberto Gurgel, entregou ao Supremo Tribunal Federal (STF) nesta sexta-feira (26) o pedido de denúncia criminal contra a deputada federal Jaqueline Roriz (PMN-DF). Acusada de peculanato, a deputada teria permitido que um funcionário público usasse o seu cargo para desviar verbas para seu interesse e o de terceiros. Em contraponto, a defesa de Jaqueline afirmou que só vai se manifestar após a divulgação da análise realizada pelo STF.

Gurgel tem como base da sua denúncia o depoimento realizado pelo delator do caso do mensalão do DEM, o ex-assessor do governo do Distrito Federal, Durval Barbosa. As informações mostram que o dinheiro teria sido desviado em 2006 à própria Jaquelina por meio do esquema de Barbosa e a pedido do ex-governador do DF, José Roberto Arruda.

Um trecho do parecer entregue por Gurgel relata que “o depoente [Durval Barbosa] recebeu as pessoas de Jaqueline Roriz e seu marido Manoel Neto, para que fossem repassados valores recolhidos a título de propina junto aos prestadores de serviços de informática ao complexo administrativo do Distrito Federal; que, naquela oportunidade, repassou cerca de R$50 mil.” A conclusão de Gurgel para denunciar Jaqueline foi que a deputada recebeu R$100 mil em troca do seu apoio a Arruda.

Por mais que ainda não tenham se manifestado sobre a denúncia de Gurgel, a defesa de Jaqueline afirmou que consideram estranhos os argumentos apresentados. Para eles, Jaqueline ainda não era servidora na época à qual as acusações se referem, e, por isso, não teria domínio sobre o dinheiro.