Publicado em: segunda-feira, 02/07/2012

Japoneses fazem protesto contra reativação de usinas nucleares no país

Pelo menos 45 mil pessoas se reuniram nesse sábado, 30 de junho, para fazer uma manifestação em frente a residência oficial do primeiro-ministro japonês. A multidão protestava contra a reativação da usina de Oi.

De acordo com as informações divulgadas pelo jornal The New York Times, está é a maior manifestação realizada no país desde a década de 1960. Os japoneses temem que novos incidentes possam acontecer no país depois que as usinas forem reativadas.

O reator número 3 da usina nuclear de Oi será reativado neste domingo, 1° de julho, pela Kansai Electric Power. A usina está localizada na região administrativa de Fukui e vai ser a primeira a ser reativadas desde que um dos reatores da usina Daiichi, localizada em Fukushima, sofreu um derretimento depois do terremoto e do tsunami registrados no país no mês de março do ano passado.

Em todo o país, ainda existem outros 53 reatores nucleares que continuam parados desde os acidentes naturais registrados em 2011.

Até o final do mês de julho, a Kansai Eletric deverá reativar mais um reator da Usina. Dessa vez, o reator nuclear reativado, segundo as informações do jornal japonês Nikkei, será o de número 4.

A expectativa da Kansai Eletric é que, com a reativação desses dois reatores nucleares, a quantidade de energia elétrica gerada seja quase a necessária para acabar com os problemas da falta de energia que estão sendo registradas na sua área de atuação. Essa área que está sofrendo com a falta de energia elétrica inclui as cidades japonesas de Kyoto e de Osaka.