Publicado em: quinta-feira, 10/11/2011

James Murdoch continua defendendo que não sabia das escutas ilegais no NOTW

O filho do magnata australiano Rupert Murdoch, James Murdoch, voltou a depor no Parlamento britânico nesta quarta-feira (09) alegando que há evidências suficientes que comprovem as escutas ilegais no jornal News Of The World, mas que ele não tinha conhecimento sobre essas práticas. Essa é a segunda vez que Jame depõe perante a Comissão do Parlamento que investiga o caso da prática ilegal para obter informações exclusivas que foram publicadas no tablóide.

Em seu depoimento, James argumentou que “as coisas deram errado e a companhia não soube lidar com isso rápido o suficiente. E eu sinto muito por isso. Mas posso dizer a vocês que desde que tudo veio à tona, a empresa tem trabalhado com grande zelo e diligência para melhorar os processos e garantir que isso não volte a acontecer, trabalhando com a polícia e esta comissão”. James ocupa o cargo de presidente da News International, um dos braços da empresa News Corp., do seu pai.

Outras duas testemunhas que foram ouvidas durante a investigação do caso, o ex-redator do jornal Colin Myler e o ex-advogado do News International Tom Crone, confirmaram que James foi informado a respeito das práticas que estavam sendo usadas dentro da sua empresa.

Porém, James continua defendendo que só tomou conhecimento do que estava acontecendo dentro do NOTW no mesmo momento em que o restante da população também foi informado. O escândalo fez com que o fechamento do tablóide fosse inevitável, sendo que o News Of The World era o jornal mais rentável da empresa de Murdoch.