Publicado em: domingo, 20/04/2014

Jacinto Lamas perdeu o direito ao ‘saídão’ de páscoa por estar incluso no inquérito disciplinar

Jacinto Lamas perdeu o direito ao ‘saídão’ de páscoa por estar incluso no inquérito disciplinarNa última quinta-feira (17), o advogado George Ferreira, que é responsável pela defesa do ex-tesoureiro do antigo ‘PL’ Jacinto Lamas, informou que seu cliente perdeu o direito de deixar o Centro de Progressão Penitenciário (CPP), em Brasília, para o feriado de Páscoa, um benefício que é conhecido como “saídão”. Lamas cumpre pena por lavagem de dinheiro pela condenação no processo do mensalão do Partido Trabalhista (PT).

De acordo com o advogado, mesmo com essa decisão da Vara de Execuções Penais (VEP) ter informado anteriormente que Lamas tinha direito à saída especial. “O cliente foi incluído de ontem para hoje em inquérito disciplinar que envolve também os ex-deputados Valdemar Costa Neto e Bispo Rodrigues”, conta.

No início de abril, foi divulgada uma reportagem que mostrou Costa Neto se reunindo durante o horário de trabalho com políticos do PR e Rodrigues e indo a uma rádio sem autorização, e Jacinto Lamas parou em uma igreja antes de ir para o trabalho e por conta do ocorrido, Valdemar Costa Neto e Bispo Rodrigues começaram a responder inquérito disciplinar, entretanto, Lamas não foi incluído. O ex-tesoureiro pediu autorização para deixar a residência durante o tempo do ‘saídão’ de Páscoa, ele queria ir a uma vigília na madrugada do domingo (20), porém não teve o pedido aceito, por conta da decisão divulgada no dia 16.

Sem direito ao “saídão”

O juiz ainda ressaltou, que ele teria direito a passar o feriado em casa, mas se recolher a partir das 18h, contudo, como a portaria veda o benefício da saída de páscoa a quem responde inquérito disciplinar, o ex-tesoureiro não terá o direito de deixar a CPP por decisão administrativa do presídio. Segundo o advogado: “O juiz de plantão do Tribunal de Justiça não tem competência para assuntos de execuções penais. O presídio decidiu de ontem para hoje incluí-lo numa investigação na qual ele não estava incluído. Infelizmente foi uma decisão administrativa. Estamos analisando, verificando se dá para reverter. Mas, ao que tudo indica, ele Jacinto Lamas terá que permanecer na prisão”, finaliza.