Publicado em: quinta-feira, 13/03/2014

Já pensou em ler mil palavras por minuto? Um novo software garante que isso será possível em breve

Já pensou em ler mil palavras por minuto? Um novo software garante que isso será possível em breveUma empresa norte-americana criou um sistema que promete alterar completamente a forma com que as pessoas leem por dispositivos digitais. A Spritz, de Boston, garante que será possível uma pessoa comum saltar da média de leitura de 220 palavras por minuto para mil palavras por minuto.

Este tempo permitiria, por exemplo, que uma pessoa lesse um livro de mil páginas em 10 horas, ou de 200 páginas em uma hora, por meio de computadores, tablets, smartphones e até mesmo relógios inteligentes.

A “super leitura” seria possível por eliminar a necessidade de movimentação do globo ocular se movimentar entre palavras, frases, espaços e pontuação. O texto, segundo o Spritz, é exibido em uma pequena caixa, palavra por palavra, na velocidade optada pelo usuário. Diversos estudos foram realizados durante três anos e, de acordo com a companhia, o sistema não prejudica a visão.

Inovação baseada em técnica antiga

Em suma, esta tecnologia baseia-se no que conhecemos no Brasil por leitura dinâmica, a Rapid serial visual presentation (RSVP). O método foi desenvolvido nos anos 70, e alinha as palavras à esquerda ou ao centro. Graças a isso, o olho humano se fixa em ponto da palavra, para que ela seja processada e compreendida pelo cérebro. A aproximação desses pontos deixa o processo de leitura mais rápida e eficiente.

O Spritz “vai além” deste processo, por mostrar uma palavra por vez e manter a posição de reconhecimento óptico (OPR) em um mesmo lugar o tempo todo, destacada em vermelho. A quantia de palavras exibidas pelo streaming de texto, como é chamado, também pode ser regulada, indo de 250 palavras por minutos para até 600 palavras por minuto primeiramente, mas o sistema será atualizado em breve, passando a até mil palavras por minuto.

Neste primeiro momento, a tecnologia foi desenvolvida para a leitura de textos em inglês, espanhol, alemão, francês, russo e coreano, e a próxima versão também já deverá disponibilizar opção em chinês. A companhia espera que, até 2016, o Spritz seja o modo de leitura de pelo menos 15% de todo o conteúdo textual do mundo.