Publicado em: terça-feira, 18/03/2014

Itaquerão e Arena da Baixada devem ter problemas com sinal de celular

Itaquerão e Arena da Baixada devem ter problemas com sinal de celularNesta segunda-feira, 17 de março, a SindiTelebrasil, entidade representativa das empresas de telefonia do país, admitiu que a instalação de estruturas complementares para ampliar o sinal da telefonia celular no Itaquerão e na Arena da Baixada não deve ficar pronta a tempo. Por isso, os torcedores que estiverem nestes estádios durante os jogos da Copa do Mundo, período no qual o fluxo de ligações aumenta consideravelmente, devem enfrentar problemas de conectividade.

Atrasos

Somente nesta segunda-feira o SindiTelebrasil anunciou o fechamento do acordo com Atlético-PR e Corinthians para instalar a chamada cobertura indoor, que amplia o sinal de telefonia. O Itaquerão e a Arena da Baixada eram os únicos estádios do país que ainda não tinham fechado o acordo, o que fez com que as obras de instalação atrasassem.

Devido a esta demora, as empresas de telefonia terão de instalar os equipamentos em menos de cem dias, incluindo centenas de antenas que se espalham pelo estádio e uma rede com cabos de fibra ótica. O SindiTelebrasil afirmou que, normalmente, a instalação desta estrutura leva 150 dias, incluindo o período necessário para testes.

Por isso, é possível que a estrutura não esteja 100% pronta nos dois estádios, o que aumenta consideravelmente a possibilidade de congestionamento na rede, o que vale tanto para ligações quanto para a utilização de internet.

Antenas

Em condições normais, os estádios receberam cerca de 300 antenas cada. Em todas as sedes da Copa das Confederações (Recife, Salvador, rio de Janeiro, Fortaleza, Brasília e Belo Horizonte) esta estrutura já foi instalada, e agora passa por uma fase final de ajustes. Nos outros casos (Porto Alegre, Natal, Manaus e Cuiabá), a instalação começou a ser feita no final do ano passado, mas o SindiTelebrasil afirmou que os equipamentos ficarão prontos até o início do Mundial.

Acerto

O SindiTelebrasil afirmou, também, que o problema é de responsabilidade dos administradores dos dois estádios. O trabalho ainda não começou a ser feito porque houve um impasse em relação ao valor do aluguel que as companhias de telefonia móvel terão de pagar pelo espaço que ocuparem no interior dos estádios.

De acordo com o SindiTelebrasil, no total serão gastos cerca de R$200 milhões para assegurar aos clientes o bom funcionamento dos serviços móveis de telefonia no interior dos estádios da Copa do Mundo.

As antenas instaladas nos estádios enviam os dados através de cabos de fibra ótica até a sala onde estão os equipamentos necessários para o funcionamento do sistema. Ali, um dispositivo separa o tráfego por operadora, identificando se a chamada partir de celulares TIM, Vivo, Claro etc. Somente a partir daí os dados vão para as redes das próprias empresas.

Por isso, com um número menor de antenas instaladas (o que deve acontecer no Itaquerão e na Arena da Baixada), é possível que o sistema acabe não dando conta de captar todo o tráfego de dados no interior do estádio, gerando congestionamento e, em casos mais graves, até mesmo a impossibilidade de conexão.