Publicado em: quinta-feira, 03/11/2011

Israel anuncia corte do orçamento destinado à Unesco em resposta à adesão da Palestina

O governo de Israel cancelou o orçamento destinado à Organização das Nações Unidas para a Educação, a Ciência e a Cultura (Unesco) em resposta à aprovação da adesão da Palestina ao grupo. O primeiro-ministro israelense, Benjamin Netanyahu, ordenou que o financiamento fosse cancelado nesta quinta-feira (03). O valor total da contribuição de Israel à Unesco chega a US$ 2 milhões por ano (R$ 3,3 milhões). Os Estados Unidos também anunciaram o cancelamento do orçamento previsto para a Unesco em resposta à adesão palestina.

O comunicado oficial divulgado pelo escritório de Netanyahu informou “o primeiro-ministro ordenou congelar a contribuição de Israel ao orçamento da Unesco, que chega a US$ 2 milhões”. A nota complementa que a iniciativa se configura como uma resposta “à decisão da organização de admitir a Autoridade Palestina”. Para Israel e os Estados Unidos, o reconhecimento da Palestina como Estado deve ser feito por meio de um acordo de paz com o governo israelense.

Complementando o comunicado lançado, o primeiro-ministro defende que “este tipo de passo não fará avançar a paz, só a afastará. A única forma de alcançá-la é mediante negociações diretas sem condições prévias”. Outra determinação de Israel para se posicionar quanto à resposta da Unesco foi ter aprovado a construção de mais 2 mil casas em Jerusalém e na região da Cisjordânia.

A Unesco foi a primeira entidade vinculada à ONU que aceitou o pedido de reconhecimento da Autoridade Nacional Palestina (ANP). A instituição também entregou a carta com o pedido de reconhecimento ao Conselho de Segurança da ONU.