Publicado em: segunda-feira, 31/10/2011

Irmã de Steve Jobs relembra encontro com o irmão e seus últimos momentos de vida

A irmã do cofundador da Apple Steve Jobs, Mona Simpson, escreveu um artigo para o jornal The New York Times sobre como seu irmão lidou com a morte e como foram os últimos minutos da sua vida. O texto foi publicado na edição do último domingo (30), mas o texto já havia sido lido durante o memorial realizado em homenagem a Jobs no dia 16, o qual foi feito para receber somente pessoas mais próximas.

Apesar de serem irmãos biológicos, Steve e Mona se encontraram somente 30 anos depois do nascimento do primogênito. Quando Jobs nasceu, seus pais ainda não eram casados e eles decidiram entrega-lo à adoção. Depois de terem se casado formalmente, eles tiveram a segunda filha, que foi criada por eles mesmos. Quem fez o primeiro contato foi Jobs por intermediação de seu advogado, que ligou para Mona e a informou de um “irmão perdido” interessado em conhecê-la.

“Como éramos pobres, e meu pai um emigrante sírio, logo imaginei que se tratava do ator. Omar Sharif. O advogado se recusou a revelar o nome do meu irmão e meus amigos decidiram fazer apostas. John Travolta liderava o ranking,” brincou Mona. A partir do momento em que o câncer de Jobs se agravou, os irmãos se aproximaram e o cofundador da Apple chegou a pedir que ela fosse à sua residência.

De acordo com a irmã de Jobs, o executivo continuou pensando no que seria ideal para aquele momento. “Ele estava trabalhando nisso. A morte não aconteceu para Steve. Ele a alcançou,” relatou Mona.