Publicado em: quinta-feira, 02/02/2012

IPC-S Desacelera em Janeiro

A Fundação Getulio Vargas (FGV) informou que o Índice de Preços as Consumidor – Semanal (IPC-S) desacelerou na quarta semana de janeiro e tende a encerrar fevereiro em 0,40%. Isso se deve, sobretudo à diminuição das pressões dos grupos de Educação e Transporte.

Segundo a FGV, duas categorias de despesas desaceleraram – alimentação (de 1,36% para 0,47%) e vestuário (de -0,12% para -0,35). O destaque para a redução nas duas categorias foi a redução dos preços das hortaliças e legumes (8,96% para 6,11%) e roupas (-0,47% para -0,70%).

Em contrapartida, as despesas com educação, leitura e recreação, serão maiores (de 3,39% para 4,90%). Nessas categorias, o principal aumento foi nos cursos formais (de 3,80% para 5,56%). O coordenador do IPC-S, Paulo Piccheti, pesquisador da FGV, prevê que para 2012 a porcentagem será mantida em 5,20.

O que é o IPC-S?

O Índice de Preços ao Consumidor é calculado semanalmente pela Fundação Getulio Vargas, que faz um levantamento dos preços de diversas categorias – transporte, educação, alimentação, vestuário, saúde e cuidados pessoais, habitação, leitura e educação e despesas diversas – em sete capitas do Brasil (Porto Alegre, Belo Horizonte, Brasília, Rio de Janeiro, Salvador e São Paulo), para famílias que possuem a renda mensal de até 33 salários mínimos. Cada cidade tem seu peso no calculo, conforme seu número de habitantes.

A base para o calculo são os valores coletados nos 30 dias, até os dias 7, 15, 23 e 30 de cada mês, comparando-os com o mesmo período do mês antecedente. A periodicidade da pesquisa é quadrissemanal – período de 08 semanas de coleta, com no mínimo 07 e no máximo 08 dias, para adequar o sistema aos meses do ano que têm de 28 a 31 dias – e permite que o consumidor detecte com maior agilidade a mudança de preços dos produtos avaliados.