Publicado em: quinta-feira, 13/02/2014

Intercâmbio pode sair mais barato e ter mais benefícios em países menos populares

 Intercâmbio pode ter mais benefícios em países menos popularesFazer um intercâmbio é um sonho que tem se tornado cada vez mais real para milhares de estudantes brasileiros. Programas governamentais, convênios universitários e agências deixam o objetivo mais fácil de ser cumprido. Acontece que a maioria dos estudantes ainda quer ir para países mais conhecidos como Estados Unidos, Inglaterra, Alemanha e Canadá, o que deixa o preço mais salgado e a concorrência maior.
Fazer um intercâmbio em um país menos procurado pode sair mais barato e ter mais benefícios para os alunos do que o esperado. Pelo menos essa é uma das apostas das agências, de acordo com pesquisa realizada pela Associação Brasileira de Organizadores de Viagens Educacionais e Culturais (Belta).

Países como a África do Sul e a China passaram a ser procurados pelos brasileiros, principalmente para o ensino de idiomas. Inglês no primeiro caso e mandarim no segundo. De acordo com agências, os preços são o que mais atraem os estudantes que escolhem estes países. O continente africano, por exemplo, tem sido um destino bastante procurado. A China ganhou força devido ao forte desenvolvimento da economia, que já é considerada tão importante globalmente quanto os USA.

Cidades menos conhecidas também são opção

Mesmo quando a decisão é mesmo a de ir para um dos grandes países do mundo, escolher cidades menos habitadas é uma boa opção. Os preços nesses locais geralmente são menores até em termos de custo de vida e não só de passagens e hospedagem. Outra vantagem é a fraca presença de brasileiros, o que estimula o intercambista a viver a cultura local e evitar falar português ao longo da estadia. O perfil do estudante também tem que ser levado em consideração na hora da escolha. Os estudantes geralmente têm entre 18 e 25 anos e buscam melhorar ou aprender novos idiomas, geralmente o inglês.