Publicado em: segunda-feira, 27/02/2012

Instituto Butantan comemora aniversário com entradas gratuitas em museus

O Instituto Butantan, um dos maiores centros de pesquisas biomédicas do mundo, comemorou os 111 anos de existência completados no dia 23. Para isso, o instituto programou uma série de atividades gratuitas para a população, que teve acesso liberado aos três museus.

As principais novidades foram a visitação aos novos animais em exposição no museu biológico: uma jararaca da Amazônia, uma píton albina, e uma cobra píton granito. O Museu Histórico e o Museu de Microbiologia também estavam de portas abertas. Além disso, foram visitadas as principais espécies de serpentes brasileiras, aranhas, escorpiões e iguanas, da exposição permanente.

A missão do Instituto é desenvolver pesquisas e produtos que contribuam para o acesso à saúde e ao conhecimento na sociedade. É uma grande referência brasileira e mundial nas áreas científicas. Seu parque possui quase 80 hectares – mais de 62% em área verde – na capital de São Paulo e que atrai mais de 300 mil visitantes todos os anos.

O Butantan foi criado em 1899, quando foram identificados casos de peste bubônica em Santos (SP). A partir de então, o governo do estado de São Paulo resolveu construir um laboratório anexo ao Instituto Bacteriológico para produzir o soro antipestoso. “O anexo, em 1901, tornou-se o Instituto Serumtherapico, localizado na Fazenda Butantan (que mudaria de nome para Instituto Butantan posteriormente)”, conta Adriana Mortara, diretora de museus.

Alguns anos depois, além de soros, começaram a produzir também vacinas.
Os objetivos do instituto são pesquisa, produção e difusão. Com as mudanças tecno-científicas, as pesquisas, produtos e divulgação têm se ampliado cada vez mais.