Publicado em: sexta-feira, 16/03/2012

Inflação dos EUA tem maior alta em 10 meses

Os EUA enfrentam a maior alta de preços dos últimos 10 anos. Essa alta é decorrente, principalmente, do preço da gasolina. Os dados foram divulgados hoje pela manhã. Embora a inflação esteja em alta, há poucos sinais de pressões inflacionárias. Segundo o Departamento do Trabalho do país, o índice de preços aumentou 0,4% no mês de fevereiro, depois de já ter avançado 0,2% em período anterior. Esse número já vinha sendo estimado por analistas americanos, ainda mais com o aumento da gasolina que é responsável por mais de 80% dessa elevação dos preços.

Na maioria dos setores a inflação foi contida. O maior problema está nos setores de alimentos e energia, que são mais voláteis. No caso do núcleo do índice houve um aumento de 0,1% em fevereiro, depois dos 0,2% detectados em janeiro. Esse aumento ficou, no entanto, abaixo do esperado nas pesquisas, que estimavam 0,2% também no mês seguinte. De acordo com o banco central americano, o Federal Reserve, essa inflação se deve ao preço da energia que encareceu nos últimos tempos e pressionou os preços para o consumidor. Mas segundo o banco central dos EUA, esse aumento é momentâneo e logo deve ficar abaixo dos 2% que é a meta da instituição.

Gasolina influencia na alta dos preços dos produtos

O banco não disse o que vai fazer para manter a taxa de juros próxima de zero até 2014, mas reiterou que essa é a expectativa do governo e do mercado. No mês anterior a inflação foi impulsionada pela gasolina que teve aumento de 6%. Esse é o maior número desde dezembro de 2010. Com relação ao preço dos alimentos, eles continuaram estáveis em fevereiro depois de subirem em janeiro. Em uma comparação anual, os preços gerais aumentaram 2,9%.