Publicado em: quinta-feira, 03/07/2014

Infecção causada pelo HIV, é capaz de inibir casos graves de H1N1

Infecção causada pelo HIV, é capaz de inibir casos graves de H1N1Após a pandemia que aconteceu em 2009 do H1N1, cientistas brasileiros ficaram curiosos depois de perceber que mesmo o vírus sendo mais agressivo em pessoas com a imunidade comprometida – pacientes com câncer e transplantados – para a surpresa deles, as pessoas que estavam infectadas com o HIV, demonstraram casos menos graves da gripe. Pesquisadores do Instituo Oswaldo Cruz então decidiram estudar essa relação entre o vírus HIV e H1N1, conseguiram descobrir que o HIV é capaz de fazer com que o organismo aumente a produção de uma proteína, que é chamada de IFITM3. E essa proteína desempenha um importante papel no combate ao H1N1, porque é responsável por impedir sua replicação. Os resultados da pesquisa foram divulgados na última segunda-feira (30), na revista de artigos científicos “PLOS ONE”.

Reações

Um teste feito em um paciente infectado pelo HIV, revela que os recursos de defesa de seus organismos ficam em constante alerta, com isso, aumentam a produção de muitas proteínas que são chamadas de fatores de restrição, e tem a função de combater o vírus. Nessa briga, a doença supera a resposta que o organismo dá, garantindo a continuação de sua replicação. A gripe H1N1, rende-se mediante a um desses quesitos de restrição, o IFITM3. De acordo com o estudo, o HIV e H1N1 convivem com dois tipos de células na parte respiratório, os macrófagos e as células do epitélio pulmonar. Nos casos em que acontecem infecção simultânea, uma molécula na superfície do HIV que se chama gp120 é a que provoca reações que impedem a replicação do vírus H1N1. Por esse motivo, pessoas portadoras do vírus tem maior propensão a ter casos mais leves da gripe, comparado a outros pacientes que são imunodeprimidos. Na situação de um HIV positivo, o grau da infecção é como a que foi observada na população em um todo.