Publicado em: sábado, 24/03/2012

Indonésia cria organismo para combater pornografia

Um dos países em que a palavra “sexo” é mais buscada em todo mundo, a Indonésia pretende lutar contra a pornografia. Para isso, o país desenvolveu um organismo especializado para fazer cumprir a lei contra pornografia com mais rigor. A justiça do país obrigou, com a lei, o fechamento local da revista “Playboy” por não conter nenhuma foto de nudez em seis edições.

O presidente do país, Susilo Bambang Yudhoyono, anunciou a criação do organismo na semana passada. Ele afirma que o órgão irá possuir uma equipe especializada para verificar as publicações impressas e também virtuais de imagens e textos. Além disso, o organismo irá investigar as denúncias registradas sobre comportamentos considerados obscenos.

Escritório do organismo em todas as províncias

O organismo, que irá inspecionar o cumprimento da legislação aprovada em 2008, terá um escritório em cada uma das 33 províncias do país. A lei determina penas que podem chegar a até 15 anos de prisão e US$ 218 mil em multas por seu descumprimento. Dian Kartika, porta-voz da Coalizão de Mulheres Indonésias, afirmou para a Agência Efe que este organismo não é válido, pois a lei possui inúmeras interpretações.

Kartika afirmou que a Indonésia possui preocupações muito mais importantes do que esta, como a “corrupção e o aumento nos preços dos combustíveis”. O organismo irá ser assessorado por importantes funcionários de departamentos da Administração do Estado e também de ministros da Indonésia. A última enquete feita pelo site de buscas Google indicou que a Indonésia é o sexto país em que mais se procuram por conteúdos ligados ao sexo.