Publicado em: segunda-feira, 16/04/2012

Índios invadem fazendas na Bahia e rendem funcionários

Na manhã do último domingo (15), cinco fazendas da cidade de Pau Brasil, no sul da Bahia, foram invadidas por Índios da tribo pataxó-hã-hã-hãe. Segundo a Polícia Civil, eles fizeram em torno de 20 funcionários como reféns, sendo que alguns deles foram amarrados em árvores. Além disso, aconteceu uma troca de tiros entre indígenas e seguranças das propriedades. As informações são do delegado Francesco da Silva Santana, que contou ainda que ninguém se feriu.

Santana declarou que os índios querem que o Supremo Tribunal Federal (STF) determine que os fazendeiros sejam retirados da área. O caso está em discussão no STF desde o ano de 1983. Os índios exigem a nulidade dos títulos de proprietários de terras no município de Pau Brasil, além de municípios vizinhos.

Para o delegado, esta é uma guerra agrária. De acordo com ele, mais duas fazendas também foram invadidas na cidade vizinha de Itaju do Colônia, localizada a 546 km da capital Salvador. Segundo o investigador Sagro de Morais Bonfim, ao todo os índios já invadiram mais de 50 fazendas da região nos últimos três meses.

Um dos reféns é o gerente de uma das fazendas, que também é ex-delegado do município. Os invasores querem pressionar o Supremo Tribunal Federal (STF) para demarcar a Terra Indígena (TI) de Caramuru-Paraguaçu, sul baiano. Já a fazenda Vitória, foi incendiada por homens que estavam encapuzados e teriam matado Ana Maria Santos de Oliveira, de 34 anos, no dia 9. Ela estava com seu marido, seu filho e suas irmãs dentro de uma caminhonete quando o crime ocorreu na zona rural de Itaju do Colônia. Depois da invasão que levou à morte de Ana Maria, os índios exigiram que o dono da fazenda Vitória, Armando Pinto, tirasse todos os animais da propriedade.