Publicado em: quinta-feira, 26/09/2013

Incêndio em SC: Governador decreta estado de emergência

Incêndio em SCRaimundo Colombo, do DEM, o governador do estado de Santa Catarina, decretou no fim da tarde da última quarta feira situação de emergência na cidade de São Francisco do Sul, por conta do acidente ocorrido com uma carga de fertilizantes à base de nitrato de amônio, que resultou em uma explosão na noite de terça feira em um depósito. A Defesa Civil está orientando a população para se manter distante da área da explosão no raio de um quilômetro, no mínimo, para evitar maiores riscos.

O governador ainda frisou durante sua fala que é muito importante que a população cumpra as medidas e siga a orientação da Defesa Civil, já que o órgão conta com os melhores especialistas para garantir a segurança e o conhecimento técnico e científico para orientar da conduta da população da melhor forma. Um dos bombeiros que cuidava da situação no local explicou que o nitrato de amônia, sozinho, é estável. Mas a partir do momento em que é aquecido, pode ser explosivo. Por isso a área foi resfriada e a população orientada para se manter a distância.

De acordo com o bombeiro, os efeitos do gás que é gerado a partir da combustão do nitrato de amônia apresenta efeitos parecidos com o do gás lacrimogêneo e por isso não corria o risco de ser letal quando inalado pela população. O coronel Marcos Oliveira, comandante do Corpo de Bombeiros do Estado de Santa Catarina, informou ainda que a saúde pode acabar sendo comprometida no caso de uma inalação de grande quantidade e direta. Por isso as pessoas haviam sido retiradas do perímetro já no início do ocorrido, para evitar esta contaminação pela inalação direta.

Durante a madrugada, a Marinha esteve distribuindo máscaras para a população, como ação preventiva. Além disso, o comando do 62º Batalhão de Infantaria da cidade Joinville destacou uma equipe para atuar diretamente na cidade, prestando auxílio ao Corpo de Bombeiros. Para lidar com a situação, militares e voluntários de um total de nove cidades estão trabalhando no combate às chamas causadas pela explosão. O acidente acabou fazendo muita gente sair da cidade nestes dias e de acordo com a Defesa Civil, mais de 100 pessoas chegaram a procurar por atendimento médico. O vento está direcionando a fumaça, cheia de amônia e nitrato de potássio, em direção ao mar, mas existe o risco de o vento mudar de direção.