Publicado em: sexta-feira, 06/07/2012

Hopi Hari: família de menina morta em parque quer indenização de R$ 4,6 milhões

A família de Gabriella Nichimura, de 14 anos, a adolescente que morreu depois que caiu do brinquedo La Tour Eiffel, no parque Hopi Hari, localizado em Vinhedo, São Paulo, no dia 24 de fevereiro deste ano, quer que o parque pague uma indenização de R$ 4,6 milhões por danos morais. Os advogados que representam a família entraram com o pedido na Justiça nessa quinta-feira, 5 de julho.

Além disso, Ademar Gomes, advogado responsável pelo caso, quer que o parque pague dois salários mínimos para cada um dos pais da adolescente, retroativo da data do acidentem até o ano de 2022, quando a menina completaria 25 anos, por danos morais.

A ação não se limita somente ao Hopi Hari, mas também ao presidente do parque, Armando Pereira Filho, ao gerente geral de manutenção e projetos, Stefan Fridolin Banholzer, o gerente de manutenção Flávio da Silva Pereira e o gerente de planejamento Fábio Ferreira da Silva.

O valor da indenização de R$ 4,6 milhões seria dividido da seguinte forma: R$ 1,5 milhão para a mãe de Gabriela, R$ 1,5 milhão para o pai, R$ 497,6 mil para a irmã e a mesma quantia para os avós paternos da garota. A justificativa do advogado para o pedido é que essa indenização é referente ao sofrimento que o acidente causou, além da imprudência, imperícia e negligência dos responsáveis pelo parque. Agora, a justiça de Vinhedo irá analisar o pedido.

Em nota, o parque divulgou que irá arcar com todas as suas responsabilidades em relação ao acidente que teve como vítima fatal a adolescente. Entretanto, o Hopi Hari disse que não tinha recebido nenhuma informação formal sobre um pedido de indenização feito pela família da adolescente.

Gabriela sentou numa cadeira do brinquedo que estava desativada, já que suas travas não estavam funcionando. Por conta disso, a adolescente caiu de uma altura de aproximadamente 20 metros.