Publicado em: segunda-feira, 17/03/2014

“Homeland” ganhará versão nacional

Homeland ganhará versão nacionalA série “Homeland”, que tem feito muito sucesso nos Estados Unidos – e já ganhou uma versão dublada na TV aberta brasileira -, deverá ganhar uma versão nacional. Quem deu a informação foi Gideon Raff, criador da série Hatufim (Prisoners of Wars), de Israel. Hatufim foi a série que originou Homeland e, recentemente, seus direitos foram adquiridos também pela produtora brasileira Mixer, que já trabalha em uma adaptação nacional para a obra.

Além de ter criado Hatufim, Gideon Raff foi também produtor de Homeland. O anúncio da venda dos direitos da série foi feito durante o Rio Content Market, congresso sobre televisão que foi realizado no Rio de Janeiro até esta sexta-feira.

Projeto

De acordo com a diretora de conteúdo da Mixer, Eliane Ferreira, o projeto ainda está em fase inicial. No momento, estão sendo realizadas as adaptações necessárias à realidade brasileira. Esta não é a primeira vez que uma série originária de Israel ganha uma versão brasileira: Sessão de Terapia, dirigida por Selton Mello e exibida no canal GNT, é uma adaptação de Be Tipul.

De acordo com Gideon Raff, que não está participando da adaptação brasileira no momento, sua história necessita de elementos locais para ser eficiente como narrativa. Por isso, os produtores brasileiros devem ter dificuldade na adaptação, pois o país não possui uma “tradição” de prisioneiros de guerra.

Homeland

Em Homeland, versão mais famosa da história de Raff, um militar norte-americano retorna ao país após ter sido prisioneiro da Al Qaeda. Ao longo da trama, uma investigadora da CIA passa a desconfiar da lealdade do militar. A versão israelense, por sua vez, mostra três prisioneiros de guerra que retornam a Israel após passar 17 anos no Líbano, em cativeiro. A série original é conhecida por ser muito mais claustrofóbica e sombria.

Segundo Raff, sua história dividiu opiniões em Israel. Quando Hatufim começou a ser exibida, Israel possuía muitos prisioneiros de guerra em outros países, o que fez com que o criador da série recebesse diversas críticas, por ter sido considerado insensível e aproveitador. Contudo, de acordo com Raff, muitos ex-prisioneiros de guerra telefonaram para ele emocionados, fazendo diversos elogios à série.

Outras versões

A série criada por Gideon Raff é um dos maiores sucessos mundiais dos últimos tempos. Além da versão norte-americana – e da brasileira, que deve ter maiores informações em breve -, o roteiro de Hatufim já foi vendido para Espanha, Rússia e Turquia.

Raff se desligou recentemente de Homeland e, agora, trabalha em duas outras séries nos Estados Unidos. Uma delas é Dig, que conta a história de um policial norte-americano que investiga um crime em Israel. A outra é Tyrant, que mostra complexas relações de uma família norte-americana durante uma espécie de Primavera Árabe (mas em um país fictício).

Raff é um grande fã de temas políticos. Curiosamente, o escritor criou Hatufim após ter recebido uma encomenda para escrever uma comédia. Por sorte, a emissora israelense que havia pedido um texto cômico acabou aceitando o roteiro sobre prisioneiros de guerra.