Publicado em: sexta-feira, 07/02/2014

Hieróglifos reveladores são descobertos em Luxor

São descobertos Hieróglifos reveladoresAkhenaton foi um faraó da 18ª dinastia, que comandou o Egito há aproximadamente 1.300 antes da nossa era. Polêmico, tentou transformar a cultura politeísta egípcia, com todo seu panteão e mitologia de diversos deuses, em um cultura monoteísta, com a adoração de um deus único, Aton. Assim, Akhenaton recuperaria o poder que os sacerdotes exerciam já que o próprio faraó seria o único representante de Aton na terra. Durante seu reinado mudou a capital política do Egito para Aketaton, cidade que mandou construir na região central do reino.

Sua tumba foi descoberta em Luxor e, agora, uma equipe internacional formada por espanhóis e egípcios, encontraram novas inscrições e afrescos reveladores. Os hieróglifos mostram que o faraó Akhenaton dividiu as obrigações e reinou juntamente com Amenófis III, seu pai. (O nome Akhenaton foi escolhido depois, Akhenaton nasceu chamando-se Amenófis IV.)

Os afrescos mostram ainda o nome dos dois reis, lado a lado, contou Mohamed Ibrahim, ministro de antiguidades. Disse ainda que as inscrições correspondem a data do primeiro Heb Sed, uma festa religiosa que aconteceu 30 anos após o início do reino de Amenófis III.

Múmia de mulher é descoberta

Outros arqueólogos egípcios encontraram um corpo mumificado e enterrado com 180 estatuetas funerárias. Segundo anúncio do ministério de antiguidades, a descoberta aconteceu 100 quilômetros ao norte do Cairo, na província de Dagahleya, e se trata do corpo de uma mulher que viveu há aproximadamente 2.000 anos atrás.

O número de estatuetas enterradas juntamente com a múmia indicam que a mulher pertencia a uma classe social elevada, seriam riquezas que a acompanhariam na jornada para a morte e depois no seu regresso para a vida.

(Com informações da AFP)