Publicado em: quarta-feira, 09/05/2012

Helicóptero que participava de reconstituição de chacina cai e mata 8 pessoas

Na tarde desta terça-feira (8), oito pessoas morreram na queda de um helicóptero a 35 quilômetros da cidade de Piranhas, sudoeste de Goiás. Eles retornavam para Goiânia, vindos da reconstituição da chacina que ocorreu no último dia 28, deixando sete vítimas degoladas na cidade de Doverlândia.

De acordo com a Secretaria de Segurança Pública de Goiás, as vítimas do acidente foram: Antônio Gonçalves Pereira dos Santos, o delegado superintendente da Polícia Judiciária de Goiás; os delegados Bruno Rosa Carneiro, Jorge Moreira da Silva, Osvalmir Carrasco Melati Júnior e Vinícius Batista da Silva; Marcel de Paula Oliveira e Fabiano de Paula Silva, os dois peritos criminais; além de Aparecido de Souza Alves, principal suspeito do crime.

A reconstituição dos fatos estava no seu segundo dia. Na primeira parte da ação, que aconteceu na última quinta-feira (3), os investigadores teatralizaram, com auxílio de dublês, os dois primeiros assassinatos (do proprietário da fazenda e de seu filho), que aconteceu dentro da casa. Já na segunda etapa, que aconteceu nesta terça, a polícia resolveu utilizar manequins para representar as cinco pessoas que morreram na área externa do local.

Durante os dois dias de reconstituição, Aparecido foi a Doverlândia acompanhar as investigações e narrar o que aconteceu no dia do crime, enquanto os peritos fazem e encenação, filmam e fotografam. Pelo fato de não haver nenhuma testemunha visual, isso serve como prova técnica na solução do caso.

Aparecido, confessou ser o autor da chacina, mas mudou a versão dos fatos por várias vezes. Tanto em relação aos envolvidos no crime quanto em relação aos motivos para tal, o rapaz se contradisse em diversos momentos. Ele havia passado por novos exames para que fosse traçado seu perfil psicológico. Mesmo com o acidente de helicóptero que matou a equipe envolvida, as investigações da chacina devem continuar.