Publicado em: segunda-feira, 05/03/2012

Heitor Villa-Lobos – saiba mais sobre o homenageado de hoje do Google

O Google faz uma homenagem hoje, dia 5 de março, ao 125° aniversário do grande maestro e compositor brasileiro, Heitor Villa-Lobos. O tema do Doodle da página inicial do site de buscas é o artista brasileiro que, se estivesse vivo, completaria 125 anos. O Google elaborou uma ilustração colorida, com folhas verdes, pássaros e flores coloridas que são referências nacionais e junto colocou o desenho do compositor.

Villa-Lobos é considerado, por grande parte dos brasileiros, como um revolucionário que rompeu com a música tradicional, tornando-se o maior personagem do modernismo no Brasil. Entre as obras que fizeram mais sucesso estão “Cair da Tarde”, “Canção de Amor” e “Xangô”. A fonte de inspiração estava nas canções folclóricas, indígenas e populares que já existiam no Brasil.

Villa-Lobos se destacou na Semana de Arte Moderna

O maestro e compositor foi incentivado a tocar violoncelo desde criança pelo pai que era funcionário da Biblioteca Nacional. Depois de seu faleceu, Villa-Lobos passou a se apresentar em bailes, cafés e teatros do Rio de Janeiro. O principal momento da sua vida foi a participação na Semana de Arte Moderna. O evento era marcado pela mudança na linguagem da música brasileira e em três dias de apresentações na Semana, o maestro, considerado como um dos mais importantes músicos que participavam do evento, apresentou canções como “O Ginete do Pierrozinho”, “Danças Africanas”, “Camponesa cantadeira”.

Um ano depois de participar da Semana de Arte Moderna, fez sua primeira de várias viagens para a Europa. Em 1930 se separou de Lucília, com quem havia se casado em 1913. Após ser operado de câncer, em 1948, Villa-Lobos se casou com Arminda Neves d’Almeida. Arminda era sua ex-aluna e foi uma das pessoas mais importantes na carreira do maestro, pois auxiliou na divulgação de suas obras.

Devido à importância de Villa-Lobos para a cultura brasileira, recebeu o título de Doutor Honoris Causa pela Universidade de Nova Iorque e em 1960 e teve a face estampada nas notas de quinhentos cruzados. O maestro foi fundador-presidente da Academia Brasileira de Música Brasileira. Villa-Lobos também foi tema de alguns filmes, como “Villa-Lobos – Uma Vida de Paixão” (2000), “O Mandarim” (1995) e “Bachianas Brasileiras: Meu Nome É Villa-Lobos” (1979). Atualmente a cidade do Rio de janeiro conta com o Museu Villa-Lobos, criado em sua homenagem em 1960.