Publicado em: segunda-feira, 05/03/2012

Heitor Villa Lobos ganha homenagem do Google no seu 125° aniversário

Esta segunda-feira, 5 de março, é a data de nascimento de um dos maestros e compositores mais importantes do nosso país: Heitor Villa-Lobos. Se estivesse vivo, ele estaria completando 125 anos. Por causa da sua importância para a história da música brasileira, o Google preparou uma homenagem para o artista em sua página inicial.

Assim como faz em outras datas importantes, o Google homenageia personalidades nacionais e internacionais por meio de um doodle, uma imagem, algumas vezes interativa, que é disponibilizada na página inicial do seu buscador.

Heitor Villa-Lobos nasceu no ano de 1887 e ganhou destaque por romper com a visão acadêmica da música que tínhamos no Brasil em sua época. Para isso, ele viajou pelo interior do país e essa experiência influenciou em diversas de suas composições como “O Canto do Uirapuru”, “Quadrilha”. “Xangô”, “Cair da Tarde”, “Evocação”, “Miudinho”, “Remeiro do São Francisco”, “Canção de Amor”, entre diversas outras.

Essas viagens, feitas principalmente para as regiões norte e nordeste do país, foram realizadas no período de 1905 a 1912. Na época, Villa-Lobos se apaixonou pelos instrumentos musicais locais, as cantigas de roda e os repentistas. As experiências colhidas em suas viagens viraram, anos depois, “O Guia Prático”, uma coletânea de canções folclóricas que foram compostas para realizar uma educação musical nas escolas.

Influência do pai na carreira de Villa Lobos

Sua mãe, Noemia Monteiro Villa-Lobos, incentivava os estudos do filho pois queria vê-lo médico. Já seu pai, Raul Villa-Lobos, que trabalhava na Biblioteca Nacional e era músico amador, deu instruções musicais ao filho e o influenciou em sua carreira artística.

Vale lembrar que Heitor Villa-Lobos foi um dos artistas a participarem da Semana de Arte Moderna organizada em 1922. O músico fez apresentações em três dias da Semana, e com três espetáculos diferentes.

Em toda sua vida, Villa-Lobos fez mais de mil composições que foram inspiradas em elementos da música folclórica e indígena. O músico morreu em 17 de novembro de 1959, então com 72 anos. Um ano depois de sua morte, o artista foi homenageado pelo governo brasileiro com a criação de um museu que leva o seu nome: o Museu Villa-Lobos.