Publicado em: quarta-feira, 15/02/2012

Heineken tem alta de 9% nos lucros e lança programa para corte de custos

Apesar do fraco verão europeu de 2011, a terceira maior cervejaria do mundo superou as expectativas e conseguiu alta de 9% no lucro de 2011. O valor líquido foi de 1,58 bilhão de euros em 2011, o qual está acima das estimativas de 1,52 propostas por analistas de mercado.

Para melhorar os lucros de 2012, a Heineken acaba de lançar mais um programa para corte de custos da empresa. O presidente, Jean-Francois van Boxmeer, disse que a cervejaria apresentou um quarto trimestre muito bom e está melhor do que em meados de 2011 quando as vendas caíram na Europa.

A fabricante de cervejas previa um lucro estável depois de perceber que o consumo da bebida tinha diminuído. Não se sabia, no entanto, se o motivo era o mau tempo na Europa ou a desconfiança do consumidor. Embora tenha ocorrido um aumento considerável se comparado com a baixa estimativa prevista pelos donos, a companhia não propôs nenhuma meta de lucros para 2012.

Plano prevê corte de custos

A cervejaria tem como objetivo crescer nos mercados emergentes e aumentar o consumo nos países desenvolvidos, estimulando as bebidas premium. Embora se estime aumento de gastos para atingir tais metas, a Heineken já lançou mais um programa de corte de custos no valor de 500 milhões de euros (aproximadamente 657 milhões de dólares).

O grupo economizou cerca de 614 milhões de euros no plano anterior, que teve a duração de três anos e, agora, pretende fazer novos cortes. No entanto, para que isso seja possível, serão necessários gastos prévios de aproximadamente 200 milhões de euros.

A cervejaria Heineken está presente em todos os países problemáticos da zona do Euro, mas espera se beneficiar, neste ano, com o crescimento na África, América Latina e Ásia. Em função do anúncio do plano de corte dos custos, as ações da companhia avançaram 3,58% na Bolsa de Amsterdam na manhã de hoje (15).