Publicado em: domingo, 08/07/2012

Heineken adia expansão devido ao aumento nos impostos

A cervejaria holandesa Heineken, que é a quarta maior cervejaria presente no Brasil e a terceira quando considerado o mundo inteiro, terá que adiar os seus investimentos no país. Isso porque o governo federal irá aumentar a carga tributária da indústria para o setor de bebidas frias. A mesma decisão foi tomada por outras empresas do mesmo ramo.

O aumento nos imposto será maior do que o que foi registrado no ano passado. Neste ano, o percentual deverá atingir 20,8%. Em 2011, esse percentual foi de 17%. Os novos valores nos impostos começam a valer a partir do mês de outubro. O decreto de aumento dos impostos já foi publicado pelo Diário Oficial mas, ainda assim, as empresas esperam que essa situação seja revertida a seu favor.

De acordo com Paulo Macedo, que é vice-presidente de relações corporativas da Heineken Brasil, o setor de bebidas frias é muito sensível ao preço. Ele contou que em 2011, quando o reajuste nos impostos fez com que os valores finais das bebidas também subisse, foi registrada uma queda de 2% no volume de cervejas comercializadas.

Além dos reajustes nos impostos, Paulo Macedo também acredita que o volume de cervejas vendidas também pode cair por conta tanto da desaceleração da economia e pelo aumento do custo da produção por causa do dólar, já que há a importação de matérias-primas.

Ele contou que se houver aumento na tributação, vai haver novo repasse aos consumidores e isso fará com que as vendas de cerveja no país caiam ainda mais. De acordo com Paulo Macedo, somente entre os meses de janeiro e maio deste ano, já foi registrada uma queda de 1,6% nas vendas quando comparada com o número de vendas feitas no mesmo período do ano passado.