Publicado em: quarta-feira, 18/04/2012

Haddad fala de propostas para São Paulo, dando ênfase ao transporte

Fernando Haddad, pré-candidato à prefeitura de São Paulo pelo PT, foi entrevistado por Fernando Mitre, Fábio Pannunzio e Eduardo Oinegue, da Band. Na entrevista, ele discutiu os problemas que, na sua perspectiva, são os mais graves em São Paulo: o transporte público e a moradia. Segundo o pré-candidato, os problemas mais difíceis de São Paulo são o transporte público e a moradia, pois eles precisam de soluções de curto prazo. Segundo Haddad, para diminuir os problemas dos transportes, uma de suas propostas é continuar o projeto da gestão petista de entregar corredores de ônibus e investir neste projeto. Segundo ele, na última gestão foram entregues 70 quilômetros.

Além disso, Haddad defendeu a implantação de recursos para o metrô, mas ressaltou a necessidade de colocar um cronograma nas obras para que elas entrem em um mesmo ritmo. Seria uma obra do estado em parceria com o governo municipal de São Paulo. Além desses temas considerados pelo pré-candidato como os mais difíceis de serem resolvidos, embora necessitem de resultados rápidos, há também outros sistemas em crise, como é o caso da saúde e da educação. Eles foram considerados por Haddad como “crônicos”. O pré-candidato aproveitou para criticar o atual prefeito, Gilberto Kassab, que prometeu construir hospitais, mas não fez nem as licitações ainda. Ele argumentou que Marta, quando saiu do governo, deixou a construção de hospitais já licitada.

Haddad também foi questionado por não ter um nome muito conhecido pela população. No entanto, segundo ele, embora isso seja um problema inicial, possui o forte apoio do partido e também do presidente Lula. Haddad disse que Lula pode ajudá-lo, pois saiu do seu governo com uma aprovação de mais de 80%. Além disso, Haddad ressaltou que o histórico do PT em São Paulo tem duas ótimas gestões com Erundina e Marta Suplicy.