Publicado em: sexta-feira, 25/11/2011

Haddad diz que Enem não está isento de fraudes e problemas

Ao participar da reunião pública convocada pela Comissão de Fiscalização Financeira e Controle, nesta quarta-feira (23), o ministro da Educação, Fernando Haddad, comentou que o Exame Nacional do Ensino Médio (Enem), assim como qualquer outro tipo de prova, não está imune de apresentar falhas ou ainda práticas ilícitas.

O ministro foi convocado para participar da reunião devido ao novo problema que o Enem enfrentou este ano, quando estudantes do colégio Christus, em Fortaleza, tiveram acesso antecipado às questões aplicadas na prova. Haddad defendeu a alidade da prova ao comparar o Enem com outros concursos, como o Exame da Ordem dos Advogados, que também já apresentou problemas parecidos.

“Vamos ter que enfrentar o crime, porque aquilo que não tinha valor, que era o resultado do Enem, passou a ter um valor inestimável e vamos sofrer com atividades ilícitas. Temos indícios de que há envolvimento de um professor de cursinho, que pode ser indiciado a qualquer momento pela Polícia Federal”, afirmou o Haddad.

O ministro ainda comentou que nesta edição do Enem, o MEC contratou uma empresa especializada na gestão de riscos para evitar práticas ilegais. “Mas não se iludam, elas vão continuar ocorrendo”, alertou.