Publicado em: segunda-feira, 19/09/2011

Haddad acredita que aumento do calendário letivo deve diminuir desigualdade

O ministro da Educação, Fernando Haddad comentou nesta sexta-feira (16) que com o aumento de dias letivos no ano é possível que seja reduzido os níveis de desigualdade entre escolas da rede publica e particular. Na semana, o Ministério da Educação anunciou que esta estudando a possibilidade de passar de 200 dias letivos para 220.

De acordo com Haddad, a pesquisa realizada pela Secretaria de Assuntos Estratégicos (SAE) sobre a possiblidade devem ser apresentada a Presidência da República e secretarias estaduais e municipais nesta semana. O ministro acredita que com os resultados é possível “abrir a discussão sobre essa possibilidade de oferecer ao aluno de escola pública igualdade de condições”.

“Uma das coisas que verificamos é que os alunos da escola particular ficam mais tempo na escola do que a escola pública. Há uma desvantagem relativa. A pública, na melhor das hipóteses, tem 800 horas por ano e a particular tem 25% mais tempo que isso. O secretário-executivo da Secretaria de Assuntos Estratégicos liderou um grupo que pesquisadores que mapeou a literatura internacional sobre qualidade e uma das conclusões é que o número de dias letivos e o numero de horas por dia tem impacto muito grande na qualidade”, afirmou o ministro durante o seu programa semanal. “Bom Dia Ministro”.

Na avaliação do ministério, a carga horaria de 800 horas anuais e considerada curta”. “Precisaríamos de ter mais de 200 dias letivos e mais de quatro horas de aula por dia. (…) Os estudos demonstram que essa é uma variável muito importante para explicar a diferença de desempenho”, explicou Haddad.