Publicado em: sábado, 29/09/2012

Há 20 anos Câmara aprovava impeachment de Collor

Há 20 anos Câmara aprovava impeachment de CollorHá 20 anos atrás, no dia 29 de setembro de 1992, a Câmara dos Deputados optou pela aprovação da perda do cargo máximo no país, do ex-presidente Fernando Collor de Mello,que hoje é atualmente senador, e que o levaria então, à renúncia e também á perda de seus direitos políticos durante oito anos, sendo o primeiro governante a sofrer um impeachment aqui no país.

Fernando Collor teria sido então o primeiro presidente que era eleito de forma direta pelo povo após a ditadura militar (1964-1985), no ano de 1989.

Ele ganhou a eleição no segundo turno, com alguns votos a mais de 35 milhões versus 31 milhões do seu adversário, o ex-presidente Luiz Inácio Lula da Silva.

Depois da posse, já no ano de 1990, foi o início das denúncias que indicavam um grandioso esquema que estava envolvendo a cobrança de dinheiro dos empresários, contas no exterior e também o pagamento dos gastos pessoais de Collor.

O esquema supostamente estava sendo coordenado pelo tesoureiro de campanha de Collor na época, Paulo César Farias, ou simplesmente, PC Farias. Ele teria, algum tempo depois, uma morte trágica ao lado da namorada, Suzana Marcolino. Depois de ter sido preso e também investigado, PC e sua namorada foram mortos no dia 23 de junho de 1996. A morte do casal ainda gera muita discussão, já que há quem diga que em meio á toda a confusão que se formou na época, com muito ciúmes, Suzana teria atirado no amado e se matado logo depois.

O casal foi encontrado deitado na cama na casa de veraneio que PC possuia, em Guaxuma (que é o bairro na orla norte de Maceió), com um tiro no peito, ao lado de Suzana, que também foi morta com um tiro.