Publicado em: quinta-feira, 10/04/2014

Guilherme Fontes vai estrear filme “Chatô” em 2014

Guilherme Fontes vai estrear filme Chatô em 2014A promessa de Guilherme Fontes para o ano de 2014 é colocar o filme “Chatô – O Rei do Brasil” nas salas de cinema de todo o país. O longa-metragem está sendo produzido desde o ano de 1995. A trama é baseada da vida de Assis Chateaubriand, o magnata das comunicações.

Na época, houve polêmica de que o recurso público destinado ao longa teria sido mal utilizado. As denúncias e confusões parecem ter chegado ao fim. O diretor Guilherme Fontes deu a notícia em uma entrevista para a revista Status.

As filmagens aconteceram entre os anos de 1999, 2002 e 2004. Guilherme Fontes confirma que nenhum compromisso foi cancelado para dar respaldo as denúncias de falta de profissionalismo. O longa-metragem tem aproximadamente 1 hora e 53 minutos de duração. O roteiro tem base na obra literária de Fernando Morais.

Foram necessários três anos para gravação de 80% das cenas. Outros 14 anos foram necessários para terminar mais 20%. Guilherme Fontes ressalta que ainda falta a parte de computação gráfica e trilha sonora. Isso porque não há muita verba. Mesmo assim, ele garante a estreia para este ano ainda.

O diretor tem certeza que sua produção irá surpreender o público. Ele está em fase de negociação com a Rede Globo para transmitir o longa nas telinhas. A polêmica da verba pública utilizada para a produção do filme resultou em uma condenação de R$36,5 milhões ao governo. Além disso, a condenação incluiu três anos de reclusão.

Guilherme Fontes ressalta que tudo não passa de mentiras e que dorme tranquilo porque nunca desviou dinheiro. Ele afirma ter captado a quantia de R$12 milhões e recebido outros R$8,6 milhões. O dinheiro foi todo colocado no projeto.

Os argumentos do diretor são de que existe uma grande conspiração no cinema nacional que envolve pessoas respeitadas e muito conhecidas no meio. O protagonista da história, Assis Chateaubriand será interpretado pelo ator Marco Ricca.

A Controladoria Geral da União (CGU) exigiu a devolução do dinheiro no dia 22 de fevereiro de 2008. O órgão do Ministério da Cultura, Ancine, foi o responsável pela instauração do processo contra a Firma Guilherme Fontes Filme Ltda, uma sociedade de Guilherme Fontes e Yolanda Machado Medina Coeli.