Publicado em: terça-feira, 14/02/2012

Greve na Bahia: PMs decidem voltar ao trabalho

Depois de assembléia realizada no sábado (11) no Sindicato dos Bancários, em Salvador, os policiais militares da Bahia decidiram encerrar a greve que já durava 12 dias. A decisão foi mediada pelo capitão Tadeu Fernandes, da Polícia Militar, utilizando como principal argumento aos líderes do movimento, a garantia dada pelo governo de não punir administrativamente os policiais que não haviam retornado ao trabalho. Além disso, o governo também irá incorporar as gratificações de modo escalonado, até 2015.

O policial militar Ivan Leite, que representava a categoria em greve, confirmou que a garantia da não punição administrativa foi fundamental. Ele frisou ainda que os policiais decidiram voltar ao trabalho não apenas em função do Carnaval, mas sim pelo povo baiano. Na saída da assembleia, manifestantes cantavam em coro “A PM voltou”. Cerca de 300 pessoas participaram da reunião, incluindo policiais e familiares.

Durante a greve, 180 homicídios foram registrados no estado, uma média de 15 por dia. Com as forças federais acionadas para fazer o policiamento e aos poucos o movimento grevista foi perdendo força, principalmente nas cidades do interior, porém faltava ainda a decisão dos PMs da capital.

O movimento diz que, apesar de não terem as reivindicações atendidas, consideram o movimento vitorioso, pois mostrou a insatisfação da categoria com os baixos salários e o tratamento dado pelo governo baiano. No Rio de Janeiro, bombeiros e policiais também encerraram a greve. A Defensoria Pública do Rio vai impetrar pedidos de habeas corpus e de transferência para os 27 policiais e bombeiros presos sob acusação de incitar a greve no Rio.