Publicado em: quinta-feira, 21/06/2012

Greve em usina de Sertãozinho (SP) pode chegar ao fim hoje

Nesta quinta-feira de manhã (21), foi realizada uma assembleia para discutir se a greve de motoristas, tratoristas e operadores de máquinas da usina São Francisco, em Sertãozinho, interior de São Paulo, será encerrada. Os funcionários estão sem trabalhar há oito dias.

Entre as exigências está o reajuste salarial de 48,1%, passando de R$ 884,40 para R$ 1.310, considerando oito horas diárias de trabalho. Já a usina ofereceu 38% de aumento, passando o valor para R$ 1.221. Além disso, a indústria se comprometeu ainda a dar tíquete alimentação de R$ 70, retroativo ao trimestre, para ser quitado no mês de agosto.

José Carlos Rullo, presidente do Sindicato dos Motoristas de Sertãozinho, declarou que a assembleia seria feita na tarde de ontem (20), mas devido à chuva a decisão sobre a greve foi transferida para hoje.

O presidente do Sindicato dos Trabalhadores na Indústria da Alimentação de Araraquara e região e secretário-adjunto da Fetiasp (Federação dos Trabalhadores em Indústrias de Alimentação do Estado de São Paulo), Antonio Gonçalves Filho, afirmou que a categoria avaliará a proposta dos seus patrões.

Além do reajuste salarial, os funcionários querem extensão do adicional noturno até o final da jornada, além da implementação de cesta básica para quem ainda não tem essa ajuda. As duas primeiras propostas solicitadas pelos chefes foram negadas, a proposta que está sendo avaliada é a de 7% de aumento nos salários.

São cerca de 42 mil trabalhadores do setor, no total do Estado de São Paulo, e a greve pode se estender caso as condições oferecidas não sejam aceitas.