Publicado em: sábado, 17/09/2011

Greve dos professores recebe determinação judicial para ser interrompida

Nesta sexta-feira (16) o desembargador do Tribunal de Justiça de Minas Gerais, Roney Oliveira, determinou uma liminar que suspende de forma imediata a paralisação dos professores da rede estadual de ensino do estado. No texto ele justiça que ainda que a greve seja considerada um direito fundamental (…) não pode ser exercida de forma abusiva”.

Na sexta-feira, a greve marcou 101 dias de paralisação. O magistrado aproveitou para recomentar que o sindicado e governo devem se “entender “sem prejuízo do regular funcionamento das instituições de ensino público”. Caso o movimento continue, os professores deverão pagar uma pena de forma gradativa para cada dia sem atividades.

Em sua vez, o Sindicato Único dos Trabalhadores em Educação de Minas Gerais (Sindi-UTE/MG) afirmou que irá fazer uma mandado de segurança para impedir a liminar da justiça. Os professores garantem que até que o recurso seja julgado a greve continua. Na próxima terça-feira deve acontecer uma assembleia para discutir o futuro do movimento.

O Ministério Publico de Minas Gerais também tenta maneiras para evitar que a greve se estenda. Na quinta-feira (15) o MP decidiu entrar com uma ação civil que pede que o movimento seja declarado legal.