Publicado em: quarta-feira, 01/08/2012

Greve dos caminhoneiros termina, mas veículos quebrados ainda bloqueiam via Dutra

Greve dos caminhoneiros termina, mas veículos quebrados ainda bloqueiam via DutraNo final da madrugada desta quarta-feira, 1° de agosto, os caminhoneiros decidiram terminar com os protestos que bloqueavam estradas e rodovias por diversas regiões do país. No entanto, mesmo com o fim da greve, pelo menos seis caminhões quebrados estavam bloqueando a passagem de veículos no quilômetro 26 da Rodovia Presidente Dutra na altura da cidade fluminense de Volta Redonda pela manhã.

Segundo informações prestadas pela concessionária que administra o trecho, a CCR Nova Dutra, os veículos continuavam na pista porque estavam sem carga na bateria ou teriam apresentado panes mecânicas que impediram que eles fossem retirados das estradas.

As falhas foram causadas devido aos dias em que os caminhões ficaram parados na pistas durante as manifestações ocorridas nos últimos dias. A concessionária informou ainda que estava trabalhando para que os veículos que apresentaram falhas mecânicas fossem consertados pelo menos para que pudessem deixar a pista e ser colocados no acostamento para permitir a circulação normal de automóveis no local.

Os motoristas que vão no sentido do Rio de Janeiro estão enfrentando o trânsito pesado. Em Volta Redonda, os quilômetros que ainda apresentam bloqueios são o 230 e 0 256. Já na cidade do Rio de Janeiro, o tráfego de veículos está lento entre os quilômetro 164 e 163 da Dutra por conta do grande número de carros e caminhões.

Já no sentido São Paulo, quem saiu do Rio de Janeiro no começo da manhã desta quarta-feira enfrentou pontos de congestionamento entre os quilômetros 166 e 167.

O anúncio sobre o fim da greve dos caminhoneiros foi feito na terça-feira, 31 de julho, mas ainda assim alguns pontos de bloqueio permaneceram na Rodovia Presidente Dutra durante a madrugada de quarta-feira, de acordo com as informações dadas pela Concessionária Nova Dutra. Nos locais bloqueados, os grevistas só estavam deixando passar os veículos de passeio, ambulâncias, ônibus e alguns veículos com cargas perecíveis.