Publicado em: quarta-feira, 19/09/2012

Greve dos Bancários – Segundo dia de paralisações causará transtornos á população

Greve dos BancáriosA greve que acontece em todo o território nacional dos bancários, que teve início ontem (18) começou seu segundo dia de paralisações com grande expectativa para maiores adesões de funcionários, e ainda não há previsão para terminar. A categoria já rejeitou a proposta que foi feita pela Febraban (Federação Brasileira dos Bancos) de 6% de reajuste salarial. Sendo assim, grande parte das agências bancárias interrompeu suas atividades. Os serviços estão disponíveis apenas via internet e também nos caixas eletrônicos. Sendo assim, a saída para os usuários é utilizar as casas lotéricas e agências credenciadas para realizar as transações bancárias.

No Distrito Federal, o Sindicato dos Bancários de Brasília já avalia que, no apenas primeiro dia da greve, “a adesão foi boa”. O previsto para hoje é de haja um aumento grande no número de funcionários que estarão parados hoje (19). Só ontem, o andamento de 320 agências bancárias foi comprometido no Distrito Federal, o que significa 64% de todas as 500 agências que estão na unidade federativa.

O transtorno que será causado imediatamente na rotina do cidadão deverá continuar também em Campina Grande, que é localizada na Paraíba, onde todas das agências da cidade, (integralmente 100%) permaneceram fechadas já no primeiro dia de greve, e hoje as agências mantiveram a decisão. Segundo a Confederação Nacional dos Trabalhadores do Ramo Financeiro (Confrab), a adesão nos outros municípios que ficam no interior da Paraíba também foi muito alta.

Já no Rio Grande do Norte, a região metropolitana de Natal conta com apenas com 80% dos funcionários dos bancos públicos paralisados, mas a expectativa é a de que haja um aumento para 90% ainda hoje, assim que haja maior adesão dos funcionários. Todas as agências da Caixa Econômica Federal permaneceram fechadas.

Segundo o diretor da Fetrafi-Nordeste e da CUT, Ronaldo de Almeida, a perspectiva é a de haja avanço na greve no Banco do Brasil e também no Banco do Nordeste. A taxa de adesão nos bancos privados está sendo bem menor.