Publicado em: quarta-feira, 19/09/2012

Greve dos Bancários – Mais de 5 mil agencias param no Brasil

Greve dos Bancários - Mais de 5 mil agencias fecham no BrasilA Confederação Nacional dos Trabalhadores do Rami Financeiro, a Contraf-CUT, informou que 5.132 ficaram de portas fechadas nesta terça-feira, dia 18, em função da greve dos bancários. Já a Federação Brasileira de Bancos lembrou que no Brasil existem mais de 34 mil agencias e pontos de atendimento.

O balanço da greve foi feito no final da tarde, quando as 137 sindicados vinculados ao Comando Nacional dos Bancários divulgaram os dados a respeito da paralização.
A entidade afirmou que na greve anterior foram paralisadas 4.191 agencias no primeiro dia e que o número superior a 5 mil representa um sucesso para o movimento.

A confederação explicou que os bancários não vão paralisar totalmente e pretendem fazer com que os bancos continuem funcionando através da internet e de caixas eletrônicos. Mas os clientes, em especial os idosos, afirmam que sentem falta do atendimento preferencial e dificuldade para usar os equipamentos eletrônicos.

Vale lembrar que apesar da greve, a Fundação Procon de São Paulo lembra que os clientes ainda são obrigados a pagar boletos e faturas. Entretanto, para facilitar o pagamento a empresa que faz a cobrança precisa oferecer meios para que o pagamento seja feito. A entidade recomenda que os clientes procurem informações com as empresas credoras sobre pagamento para a internet, sede da empresa, casa lotérica e internet.

A Confederação informou através de nota que os bancários estão pedindo reajuste salarial de 10,25%, com aumento real de 5%, participação que equivale a três salários, além de R$ 4,961,25 fixos, com piso salarial de R$ 2.416,38, aumento de benefícios no valor de R$ 622,00, fim do abuso de rotatividade melhoras as condições de saúde e segurança no trabalho e ainda o recebimento do 13º auxílio-refeição.

Também foi através de nota que a Fenaban disse que fica triste com o fato de os bancários não repensarem a decisão da greve. Ademir, um dos líderes dos bancários informou que com a greve eles desejam negociar, lembrando que no dia 28 de agosto estava marcada para acontecer a apresentação de novas propostas e isso não aconteceu, o que acabou desencadeando a greve.

Os bancários entraram em greve pelos últimos 12 anos seguidos e isso sempre acontece no mesmo período do ano, que é quando acontecem as negociações, que duram, em média duas ou três semanas. Já a Fenaban informou que uma proposta foi apresentada no ultimo dia 28, onde está previsto aumento de 6% nos salários, no piso e também nos benefícios, bem como nas participações. Os caixas passam a receber o piso de R$ 2.014,38 para trabalhar seis horas por dia. Outros benefícios estão na proposta, que incluir o pagamento de cesta de R$ 359,42 no 13º.