Publicado em: terça-feira, 27/09/2011

Greve dos bancários 2011 sem previsão para acabar

A manhã de terça-feira já amanhece com as agências de todo o país fechadas. A paralisação nacional não tem data estipulada para encerramento. A categoria aprovou a greve na noite de ontem, em diversas assembléias dos sindicatos no país. A Fenaban (Federação Nacional dos Bancos) fez uma proposta para a categoria de reajusta de 8%. As negociações, ocorridas no dia 23, foram a quinta rodada de discussão ocorrida em São Paulo.

O coordenador do Comando Nacional dos Bancários, Carlos Cordeiro, afirmou que esse ajuste de 8% representaria apenas 0,56% de aumento real, “continuando distante da reivindicação de 12,8% de reajuste, sendo 5% de ganho real mais a inflação do período”, afirmou.

Cordeiro ainda afirmou que a proposta da Fenaban está deixando de considerar pontos importantes, como: valorização do piso salarial, participação nos lucros e avanços em relação às reivindicações de emprego e melhoria das condições de trabalho. Entre as exigências da categoria estão o fim da rotatividade, mais contratações, fim das metas abusivas, combate ao assédio moral, mais segurança, igualdade de oportunidades e inclusão bancária sem precarização.

Cordeiro espera que a greve faça com que os bancos apresentem uma proposta que garanta melhores condições de trabalho aos bancários. “Com lucros acima de R$ 27,4 bilhões obtidos somente no primeiro semestre deste ano, os bancos possuem todas as condições de atender as reivindicações”, ressaltou. A Fenaban afirmou que a greve nacional é “fora de propósito” e que a proposta rejeitada contemplava as reivindicações.