Publicado em: sexta-feira, 25/05/2012

Greve de professores da rede federal deve continuar

Mesmo com a declaração do ministro da educação, Aloizio Mercadante, que a greve dos professores de nível superior federal é fora de propósito, a paralisação continua sem previsão para encerrar. Quem afirmou a manutenção da greve foi Marina Barbosa, presidente do sindicado dos docentes Andes. De acordo com Marina, a afirmação do ministro que a greve ocorre em período de negociações com o governo não é verdadeira, já que desde o final do ano de 2010 o governo vem apresentando a mesma proposta.

A diretoria da paralisação informou que das quase sessenta instituições de ensino superior federais do Brasil, ao menos quarenta e quatro delas participam com adesão parcial ao movimento, que reivindica benefícios e reajuste salarial. Até a manhã de ontem, quinta feira (24), o Instituto Federal do Sudeste de Minas Gerais havia aderido à paralisação, embora ainda não tivesse sido contabilizada pelo movimento.

Terça feira completou-se o terceiro dia de greve, ocasião em que Mercadante afirmou ter o governo fechado um acordo com os docentes, prevendo aumento de 4% a partir do mês de março, além de gratificações, incorporações e reestruturação do plano de carreira para o próximo ano.

Posicionamento

Apesar da afirmação do governo, a Andes declara que a medida publicada é provisória e não trata quanto o plano de carreira, de forma que, retrocederia a campanha da categoria para o que já havia sido acertado no final de 2010.

O problema ainda pendente é a questão da revisão, que de acordo com os docentes é o aspecto que mais impacta no quesito valorização. O ministro ainda argumenta que o prazo legal para término desta negociação ainda oferece tempo, pois o orçamento do próximo ano, de onde serão custeadas as alterações, fechará apenas em 31 de agosto.

Entre as universidades paralisadas estão: Universidade Federal da Paraíba (UFPB), Universidade Federal do Semi-Árido (Mossoró) (Ufersa), Universidade Federal do Semi-Árido (Mossoró) (Ufersa), Universidade Federal do Piauí (UFPI), Universidade Federal do Maranhão (UFMA), Universidade Federal do Amapá (Unifap), Universidade Federal do Oeste do Pará (Ufopa), Universidade Federal do Pará (UFPA), Universidade Federal Rural do Amazonas (UFRA), Universidade Federal de Roraima (UFRR), Universidade Federal do Amazonas (UFAM) e muitas outras.