Publicado em: sexta-feira, 24/08/2012

Greve da Anvisa pode fazer com que pacientes com câncer alterem tratamento

Greve da Anvisa pode fazer com que pacientes com câncer alterem tratamentoCerca de 50 pacientes que fazem tratamento contra o câncer no hospital filantrópico A.C Camargo terão que alterar seu tratamento já que o quimioterápico xeloda está em falta. O hospital, que está instalado em São Paulo e que é um centro de referência no combate ao câncer, falou por meio da sua assessoria de comunicação que o fabricante do medicamento ainda não forneceu a substância dizendo que a matéria-prima importada utilizada em sua produção está parada por conta da greve feita pelos servidores da Agência Nacional de Vigilância Sanitária, a Anvisa.

A expectativa do laboratório que faz a fabricação do remédio é que ele consiga ser entregue apenas na primeira quinzena do mês que vem. Assim, os tratamentos terão quer ser mudados até lá. A alternativa para o tratamento com o quimioterápico xeloda, que é administrado por via oral, é o uso da quimioterapia feita da forma intravenosa.

No entanto, esse procedimento exige que o paciente seja internado e fique recebendo o medicamento num tempo que pode variar entre duas e seis horas. Se a xeloda não for entregue até o final do mês de agosto, o tratamento desses pacientes que são atendidos no hospital terá que ser alterado.

Segundo as informações dadas pelo hospital, a substituição da medicação não altera o tratamento, já que o histórico mostra que pacientes que fizeram essa mudança tiveram uma boa resposta clínica. Entretanto, a previsão do hospital é de que outros dez tipos de remédios acabem caso a greve dos funcionários da Anvisa dure mais duas ou três semanas.

Carlos Eduardo Gouvêa, que é secretário-executivo da Câmara Brasileira de Diagnóstico Laboratorial, disse que a falta de medicamentos está acontecendo porque a Anvisa não está realizando inspeções. De acordo com ele, a entidade tinha um estoque inicial, mas que não foi suficiente por conta do adiamento do final da greve.