Publicado em: quinta-feira, 17/05/2012

Grécia promoverá novas eleições em junho

No dia de ontem, quarta feira (15), a Grécia escolheu o magistrado Panayotis Pikrammenos para assumir e dirigir o governo durante o período de transição. Este governo de transição deve levar o país à realização de eleições em período antes do esperado, para o próximo mês de junho.

Como resultado do pleito legislativo realizado no último dia seis de maio, aliado a incapacidade dos partidos políticos na criação de um Executivo de coalizão, o Parlamento está agora extremamente fragmentado, não deixando outra saída, se não a formação de um gabinete interino, com caráter técnico para o anúncio de uma nova eleição.

O presidente da república, Karolos Papoulias, para pactuar a composição do governo, reuniu-se com os líderes políticos que alcançaram uma representação parlamentar, com exceção dos neonazistas da Aurora Dourada. O grupo teria se recusado a participar por terem sido excluídos em outras negociações.

De acordo com informações dos partidos, depois do encontro, foi analisada a possibilidade manter a continuidade do governo em final de mandato, de Lucas Papademos. Entretanto, nem o político estaria disposto, nem a proposta teria conseguido alcançar consenso entre as formações.

O líder do partido de centro-esquerda Dimar, Fotis Kouvelis, afirmou que havia insistido pela formação de um governo que atuasse de forma neutra, solicitando ainda a aplicação do artigo 37 da Constituição, além da solicitação de que o governo atuasse com poucos membros.

Novo governo

Apesar das discussões, o novo governo pouco terá poder de decisão em questões fundamentais, por decisão e pacto entre os atuais partidos políticos do país. Essa situação pode interferir no evento “Cúpula da OTAN”, que acontece nos dias 20 e 21 de maio, onde serão discutidas a entrada da Macedônia na Aliança, questão já vetada pela Grécia devido as diferenças existentes.

As novas eleições ainda não foram oficialmente convocadas, mas ainda assim, toda a imprensa e os líderes políticos têm divulgado como data certa 17 de junho. Ainda hoje uma nova Parlamento deverá ser constituído, junto com o juramento solene dos deputados eleitos no último dia seis.