Publicado em: quinta-feira, 20/10/2011

Grécia passa pelo segundo dia de protestos contra medidas do plano de austeridade

A população da Grécia continua nesta quinta-feira (20) com o segundo dia de greve geral em protesto contra o novo pacote de medidas de austeridade que deve ser aprovado pelo Parlamento ainda na quinta-feira. As mudanças que devem acontecer com a aprovação do pacote são aumento dos impostos, demissão de até 30 mil funcionários públicos até dezembro, fim dos contratos coletivos e aumento das tarifas públicas. Várias categorias profissionais paralisaram, e não necessariamente todas vinculadas ao Estado.

Na quarta-feira, o Parlamento votou o primeiro turno para decidir pela implementação ou não das novas medidas. Foram 154 votos a favor contra 145 desfavoráveis, o que dá a entender que a tendência deve ser repetida na votação do segundo turno. As medidas não foram decididas pelo governo grego, mas sim pela União Europeia e pelo Fundo Monetário Internacional (FMI), pois a comunidade internacional entende que a Grécia precisa reduzir o déficit público, que já ultrapassa três vezes o que é permitido pela União Europeia.

Até o momento, a dívida pública da Grécia chega a 350 bilhões de euros. Para que a Grécia tenha autorização para usar 110 bilhões de euros do fundo europeu, principal recurso para financiar o Estado, a UE e o FMI avisaram que o país precisa estabelecer reformas estruturais.

Os protestos de quarta-feira configuraram um dos piores dias na Grécia desde que as manifestações começaram em decorrência da crise financeira. Os manifestantes usaram coquetel molotov e pedras contra policiais. Os sindicatos defendem que as medidas do plano de austeridade vão piorar ainda mais as crises econômica e da dívida.