Publicado em: terça-feira, 27/09/2011

Grécia nega estar planejando “calote parcial”

Nesta segunda-feira (26), o governo grego negou em uma comunicado oficial que estaria analisando as propostas junto aos credores internacionais sobre um calote de 50% do total de sua dívida soberana como uma forma de contenção para a crise que se instala na zona do euro.

O ministro das Finanças da Grécia, Evangelos Venizelos, garantiu que não houve a discussão sobre uma possibilidade do calote parcial durante o último encontro junto as autoridades do Fundo Monetário Internacional (FMI) que terminou neste domingo (25).

O boato que circulou pelos mercado financeiros nesta segunda-feira é que fontes do FMI alegaram que a Grécia estaria negociando o calote parcial das dívidas junto aos bancos. Além disso, os bancos contariam com a facilidade de ter em mãos novos recursos, que provavelmente seriam o novo pacote de ajuda cedido pela União Europeia.

Só com a suspeita, o mercado passou a observar de forma positiva a suposta injeção de recursos junto aos bancos credores da Grécia. Os países que estão mais expostos a possiblidade do calote, a Alemanha e a Franca, tiveram as ações de banco cresceram a 6% e 8%, respectivamente.

Nos pronunciamento de encerramento da reunião do FMI, os principais líderes mundiais não acreditam que a Grécia deve entrar em moratória. Porém, relatos sobre o evento sugerem que existem diversas discussões que devem permitir que o pais faça o calote e assim continue de forma ativa na zona do euro.