Publicado em: sábado, 07/04/2012

Grécia ainda tem chances de quebrar e sair da União Europeia

De acordo com Christine Lagarde, diretora-geral do Fundo Monetário Internacional, a Grécia ainda tem chances de não se recuperar da crise e quebrar nos próximos meses. Isso pode ocorrer mesmo com as ajudas recebida dos outros parceiros. Com isso o país pode ser obrigado a deixar a zona do euro e a União Européia. Essa informação foi fornecida pela diretora do FMI durante entrevista concedida a emissora de televisão americana CBS. O programa será exibido amanhã.

Essas declarações da representante do FMI servem como alerta ao país que deve passar por eleições no próximo mês. O processo está agendado para o dia 6 de maio. Lagarde estima que uma possível mudança na política possa levar o país para uma crise de difícil recuperação. Uma grande mudança poderia ainda colocar em risco resoluções aprovadas, assim como o corte de Orçamento. Somente com a manutenção desses requisitos que o país receberá a próxima parte do pacote de auxilio a economia no valor de € 130 bilhões.

Autoridades criticam os avanços gregos

Depois de liberado a segunda parte do auxílio à Grécia, alguns representantes da zona do euro passaram a criticar os avanços obtidos pelo país durante o processo de recuperação econômica. De acordo com Olli Rehn, comissário europeu de Assuntos Econômicos, o país pode ainda necessitar de outra ajuda depois desta. Essa possibilidade foi reafirmada por outros representantes da região Européia.

Lucas Papademos, premiê grego, ouviu as críticas e não descartou a possibilidade. Nessa mesma linha de pensamento está Wolfgang Schauble, ministro das Finanças alemão. Segundo ele, a Grécia está pressionando a Alemanha mesmo que este último também não se encontre na sua melhor situação financeira e isso é um problema para as relações internacionais.