Publicado em: segunda-feira, 19/03/2012

Grã-Bretanha permite união civil homossexual entre detentos

A Grã-Bretanha irá autorizar os prisioneiros dos regimes de segurança máxima a realizarem a cerimônia de união civil homossexual dentro das próprias penitenciárias. De acordo com o jornal britânico “The Daily Mail”, que noticiou o fato, a permissão será concedida desde que os próprios detentos arquem com os custos da cerimônia.

O tema virou notícia depois que a mãe de um detendo de “categoria A”, como são chamados os prisioneiros mais perigosos do país. Ela escreveu para uma revista dizendo que seu filho queria se casar com um dos colegas do presídio. A mãe do detento fez algumas perguntas, como quanto tempo iria levar para organizar a cerimônia e se elas eram permitidas dentro do sistema penitenciário de segurança máxima.

A Grã-Bretanha autoriza a união civil homossexual desde 2004, no entanto, até agora, não tinha nenhum caso para a aplicação desta lei em prisioneiros. Entre os presos de “categoria A” estão serial killers, assassinos, terroristas e estupradores, que se encontram nos presídios mais conhecidos do país, como Long Worcestershire e Belmarsh.

Requisitos da união civil entre presos homossexuais

Em entrevista ao “The Daily Mail”, um porta-voz do Serviço Nacional de Gerenciamento Carcerário afirmou que este tipo de união é permitida conforme a ordem do Serviço Prisional 4445, mas que antes da autorização é feita uma avaliação para verificar os riscos que essa união pode causar. Ele afirma que é preciso ter no mínimo 16 anos e confirmar se os homens já não são casados e também não são parentes.