Publicado em: terça-feira, 13/03/2012

Governo toma novas medidas para conter o real

Mesmo com o dólar apresentando crescimento na última semana, o governo agiu novamente para conter a valorização excessiva do real em relação à moeda americana. A ação desta vez foi para diminuir os empréstimos no exterior. De acordo com um decreto publicado ontem (12) no Diário Oficial, o IOF será aplicado em todos os créditos com vencimento de cinco anos. A mudança não é no valor do IOF, que continua em 6%, mas sim o período de validade.

Essa não é a primeira vez que o Banco Central age dessa forma. No dia primeiro de março o prazo já havia sido ampliado de 24 para 36 meses. O objetivo era evitar a entrada de dinheiro do exterior no país, pois isso vinha valorizando excessivamente o real. A tentativa do governo era pressionar os investidores externos em função do maior valor gasto com impostos. Segundo avaliações de analistas, essa extensão do prazo de pagamento de IOF pode ser considerada como mais uma das ações do governo para conter o “tsunami financeiro”, como Dilma Rousseff se refere à crise econômica mundial.

Guido Mantega, ministro da Fazenda, falou sobre o prolongamento do período e disse que essa ação é para conter os especuladores. Segundo ele, o dinheiro que os países desenvolvidos estão oferecendo aos bancos não vai para os moradores dos próprios países, mas saem para aplicações externas. Geralmente os mercados procurados são os emergentes mais sólidos e menos prejudicados com a crise. Em função disso, o Brasil vem recebendo muito dinheiro externo neste início de ano.

Além dessa ação, o governo já fez outras para reagir aos efeitos da crise econômica. Foram várias intervenções do Banco Central no mercado para comprar dólar na última semana. Mesmo assim, a desvalorização em relação à moeda brasileira já chega a 10% somente em 2012. Hoje, depois desta nova intervenção do governo na política monetária, o dólar reagiu e subiu 1,56%, fechando em R$ 1,812.