Publicado em: terça-feira, 02/08/2011

Governo Sírio volta a atacar rebeldes da cidade de Hama

As Forças Armadas sírias voltaram a atacar a cidade de Hama na segunda-feira (02), dando sequência aos ataques realizados no domingo (01) que deixaram mais de 100 pessoas mortas. O exército invadiu o local com tanques, pois, de acordo com o governo, o objetivo seria derrubar bloqueios e barricadas levantados pelos rebeldes protestantes contrários ao regime ditatorial de Bashar Al-Assad. Com o novo ataque, a informação é que quatro pessoas teriam morrido na região noroeste de Hama.

Na segunda-feira, o presidente ditador participou de uma cerimônia em comemoração aos 66 anos das Forças Armadas, e afirmou “felicito cada soldado e o parabenizo pelo 66º aniversário de criação das Forças Armadas árabes da Síria que defendem seus direitos frente aos planos agressivos que atravessam nosso presente e nosso futuro.” Ainda, Al-Assad defende que esses episódios de contestação fazem parte de um complô para dividir o país de acordo com os estados que estão lutando entre si.

Com a divulgação do que aconteceu em Hama durante o domingo, a comunidade internacional começou a se manifestar contra o ditador. O presidente americano, Barack Obama, afirmou “mais uma vez, o presidente (Bashar Al-Assad) mostrou que é completamente incapaz e não quer atender às queixas do povo sírio.”

Ao mesmo tempo, a União Europeia (UE) incluiu mais cinco nomes de autoridades e militares nas sanções do grupo. Agora, a lista de nomes que fazem parte dessas sanções chegou a 35. Quem teve seu nome inserido está com seus bens congelados e não poderá viajar para nenhum país da UE.