Publicado em: sexta-feira, 16/03/2012

Governo quer aumentar o preço do vinho importado para fortalecer indústria nacional

Depois de concluir que as importações de vinho prejudicaram a produção brasileira, o governo decide criar barreiras para a entrada do produto no país. O governo pretende estudar uma maneira de impedir a entrada do produto em grandes quantidades. O objetivo é impor uma medida em parceria com a Organização Mundial de Comércio (OMC). A medida seria para impor uma quantidade máxima de garrafas ou o aumento de impostos para que o preço de venda no país não seja tão barato.

A medida será direcionada para o produto que vem de Portugal, Itália e Chile. Com a crise internacional, o produto europeu ficou mais barato e isso está causando um forte impacto na produção brasileira, principalmente no Sul. Os produtores gaúchos já haviam pedido à presidente Dilma Rousseff que medidas fossem tomadas para impedir as importações. As indústrias de vinho se reuniram e publicaram uma nota sobre o assunto, alegando que com o crescimento das importações o produto nacional foi desvalorizado e não consegue competir com os preços dos importados.

No caso do Chile o problema é ainda mais crítico porque o produto entra no país sem pagar impostos. Isso está acontecendo desde o ano passado depois de um acordo feito pelos países do Mercosul. Em 2006 o imposto era de 22,6%, o que foi diminuindo gradativamente para não causar tanto impacto na produção brasileira. Embora o vinho seja uma bebida que sua qualidade depende do solo e do clima, o presidente da Associação Brasileira de Enologia, Christian Bernardi, diz que o brasileiro ainda é um consumidor muito jovem que não leva em consideração essas coisas, mas sim o preço. Dessa forma, com os importados mais baratos, o vinho brasileiro fica nas prateleiras por não conseguir competir.

Alguns analistas discordam da medida que o governo quer tomar, pois assim será acusado de protecionismo. Segundo Welber Barral, o governo deveria investir no produto interno e não em impor medidas contra o produto estrangeiro. A melhor saída para solucionar o problema é ajudar os produtores nacionais a melhorarem a qualidade de seus produtos para competirem com o importado.