Publicado em: terça-feira, 27/03/2012

Governo prorroga prazo para desconto de IPI

A redução do Imposto sobre Produtos Industrializados (IPI) será prorrogada por um período de mais três meses. O anúncio foi feito ontem pelo governo, já que o prazo final estava chegando e terminava no dia 31 de março. A redução vale para eletrodomésticos, móveis e luminárias. A tentativa do governo em manter o imposto reduzido é que com preços mais baixos o consumidor compre mais e assim estimule a economia brasileira.

Segundo Guido Mantega, ministro da Fazenda, com a expansão da redução do IPI, o governo vai deixar de receber R$ 489 milhões de impostos. Enquanto o governo reduz os impostos, o papel da indústria é manter todos os funcionários trabalhando. Segundo o governo essa será a contrapartida da indústria para que o prazo seja estendido. Não é possível, segundo o contrato, que o setor dispense os profissionais. A meta do Planalto é que as empresas continuem vendendo e contratando pessoal. Segundo Mantega, só em fevereiro foram mais 50 mil pessoas empregadas.

O governo quer estimular a indústria para fechar 2012 com taxas de 5%. Assim, o desenvolvimento da economia será melhor que em 2011. Essa redução de IPI ocorre sobre a linha branca. Trata-se, por exemplo, de geladeiras, máquinas de lavar roupa, fogões e tanquinhos. Essa política de redução do IPI começou em dezembro de 2011. Os cortes são significativos e chegam a 10%, como é o caso da máquina de lavar que reduz de 20% para 10%. O mesmo ocorre com as geladeiras que tem 10% a menos do valor anterior. Além da linha branca o IPI passou a valer para a linha de móveis, em que o percentual de IPI está zerado.

Essa prorrogação foi pedida pelas indústrias depois que divulgaram que a venda de produtos da linha branca cresceu 2,63% entre dezembro de 2010 e fevereiro de 2011. A Eletros (Associação Nacional dos Fabricantes de Produtos Eletroeletrônicos) também se interessou em aumentar o período.