Publicado em: terça-feira, 28/01/2014

Governo irá fazer corte de R$ 30 bi no Orçamento para acalmar mercado

Governo irá fazer corte de R$ 30 bi para acalmar mercadoPara mostrar ao mercado que o governo está se comprometendo com a política fiscal mais austera, a equipe econômica está trabalhando para definir qual será o tamanho do corte que terá que ser feito no Orçamento da União. A redução, segundo técnicos da negociação, deve ser acima do que foi registrado no ano passado, ou seja, aproximadamente R$ 30 bilhões, podendo ainda ser ajustada para mais ou para menos ao longo do ano. Isso irá depender do comportamento das despesas e das receitas. No ano anterior, o corte foi de R 28 bilhões.

Ainda de acordo com os analistas, está redução seria o primeiro passo para o governo subir o superávit primário da União, que é a economia para realizar o pagamento de juros da dívida pública, que hoje corresponde a 1,1% do PIB (Produto Interno Brasileiro), segundo a Lei de Diretrizes Orçamentárias (LDO) deste ano. Em fevereiro deve ser anunciada com os cortes no Orçamento a meta ajustada de superávit.

A presidente do Brasil, Dilma Rousseff, está trabalhando para que a confiança dos investidores do país seja reconquistada, o que é considera primordial nesse momento, pois, há risco de ocorrer uma fuga de capital de economias emergentes. Uma demonstração de que a presidente está mesmo preocupada com este assunto foi o fato dela querer participar do Fórum Econômico de Davos, que aconteceu na semana passa na Suíça.

Dilma se encontrou com os empresários em meio às críticas que está recebendo do mercado em relação à alta dos gastos do governo, que acabam pressionando a inflação, e fez questão de mostrar a responsabilidade fiscal sendo o principal motivo para o desenvolvimento do Brasil. Além disso, a presidente afirmou que está sob controle os gastos públicos, lembrando também que houve uma redução na dívida líquida do setor público, caindo de 42,1% do PIB em 2009, logo no início da crise mundial, para 34% do PIB no ano passado.