Publicado em: sexta-feira, 20/07/2012

Governo federal lança programa para prevenir problemas de mobilidade em cidades de médio porte

O governo lançou hoje o Programa de Aceleração do Crescimento (PAC) Mobilidade para médias cidades. Trata-se de investimentos para municípios com população entre 250 mil e 700 mil habitantes. Com o programa haverá investimentos de R$ 7 bilhões. Esse valor poderá ser usado para compra de equipamentos, melhora no transporte público, construção de terminais e estações. O governo ressalta que o dinheiro não deve ser usado para compra de veículos, abertura de ruas e nem para pavimentação. As obras devem ter uma contrapartida do município no valor de 5% do total das obras, as quais devem ter como publico alvo a população de baixa renda.

Programa tem perfil diferente daquele lançado para grandes municípios

O PAC Mobilidade para cidades de porte médio foram divulgados ontem pela presidente, acompanhada do ministro Aguinaldo Ribeiro. Esse programa, segundo dados do governo, tem objetivos diferentes daquele direcionado para grandes cidades, em que o dinheiro destinado serve para construção de obras mais caras, como a melhora ou construção de linhas de metrô. Para o PAC das grandes cidades, foram destinados R$ 32 bilhões. Somente durante o governo de Dilma Rousseff, contando com as obras feitas para a Copa de 2014, o governo já destinou R$ 58 bilhões somente para obras para melhorar a mobilidade urbana das grandes e médias cidades.

75 municípios serão atendidos pelo PAC Mobilidade Médias Cidades

Somente com o programa lançado ontem, o governo deve atender as necessidades de mobilidade urbana de 75 municípios em todo o país. As cidades que estão dentro dos critérios exigidos pelo Ministério das Cidades, devem apresentar projetos para o ministério. Além dos próprios municípios, os estados podem propor projetos para as sãs cidades com mais de 200 mil habitantes, no entanto é necessário que os projetos sejam feitos em parceria. Segundo a presidente, o governo tende a aceitar projetos que tenham efeito mais rápido para a população mais carente dos municípios.